Estudo comparativo entre os efeitos do Laser e da Luz Intensa Pulsada na redução de pelos da região axilar

 

 

Autores:

 

1.         Cintia Yuri Higa

 

2.         Hyngrid Calixto Fernandes da Silva

 

3.         Mirian Natsumi Eto

 

4.         Nathália Tiemi Nakamura

 

5.         Tabata Moraes da Silva

 

Orientadora: Fabiana Padovez

 

RESUMO

 

Pelos corporais são considerados incômodos desde as épocas mais remotas. Mulheres, e mais recentemente homens, recorrem a técnicas diversas com o objetivo de elimina-los. Em países tropicais como é o caso do Brasil, o corpo passa grande parte do ano exposto tornando a preocupação com estes fios ainda mais intensa. As opções depilatórias atuais podem ser de curta duração, como é caso de pinças, cremes, laminas e ceras, ou de ação prolongada, feita com laser ou luz pulsada. Ainda existem muitos mitos e pouca literatura acerca destas duas ultimas técnicas e este trabalho se propôs a realizar um estudo comparativo demonstrando não apenas a eficiência destes dois equipamentos, mas também a aplicação das técnicas, o desconforto envolvido, a percepção das 11 voluntárias e das profissionais que realizaram as sessões.

 

Palavras chave: Depilação. Luz Pulsada. Laser. Pelos. Estética.

 

 

DISCUSSÃO

 

Laser Light SheerDuet® e Luz Intensa Pulsada Anthélia® são novas opções de epilação no mercado. O presente estudo realizou uma comparação entre os aparelhos quanto a redução de pelos na região axilar e sensibilidade do cliente.

 

Amin e et al (2006) publicaram um estudo comparativo entre quatro fontes diferentes de luz testados em 10 pacientes: duas plataformas de IPL: Palomar StarluxRs* (Palomar, Burlington, Canadá) (35J/cm², 100ms); Diodo em versão Lumenis*/ LightSheer* (Lumenis, Yokneam, Israel) (28J/cm², Auto (14ms) e Laser de Alexandrite Candela/GemtleLase* (Candela, Wayland, EUA) (18J/cm², 3ms) (preset) DCD 30/30). As áreas tratadas foram pernas e dorso dos mesmos pacientes. Todos os métodos resultaram em epilação efetiva, não havendo diferença estatisticamente significativa entre as tecnologias entre a redução de pelos.

 

Foram aplicados os dois métodos, Laser na axila esquerda e Luz Intensa Pulsada na axila direita, na mesma paciente para uma avaliação mais precisa. Devido à diversidade na quantidade e espessura dos pelos, avaliou-se que cada voluntaria obteve resultados particulares.

 

Cameron e et al relataram em 2008 dor e inflamação menores com o uso de IPL e redução de pelos mais eficaz com o Laser. Em nosso estudo observou-se que houve maior redução de pelos com IPL, tendo eficácia de até

90% e similaridade na percepção de dor. As voluntarias relataram que a dor durante o tratamento foi semelhante para ambos os aparelhos e não houve queixas pós-procedimento.

 

Os parâmetros utilizados foram escolhidos de acordo com o fototipo e espessura de pelo de cada voluntária, levando em consideração as orientações dos fabricantes. A fluência da IPL variou de 13 a 20J/cm², pois esta é a indicação da Eurofeedback, fabricante da IPL, e o Laser de 4,9 a 7,3J/cm².

 

Souza (2010) relatou efeitos adversos incluindo dor, inflamação e surgimento de crostas, esta ultima restrita a IPL. Breadon (2007) afirma que pode ocorrer hipo ou  hiperpigmentação,  infecção  secundária  no  local  de

 

aplicação e formação de bolhas, indução paradoxal de pilificação e formação de  cicatriz.  Neste estudo  não  foi  apresentado  quaisquer  complicações  ou efeitos adversos durante ou após o procedimento.

 

As sessões tiveram intervalos conforme o fabricante e a avaliação final ocorreu 20 dias após a última sessão, no qual foi realizada a contagem dos pelos por meio de imagem projetada e ampliada no computador.

 

O fato de haver aparelhos distintos no mercado para a remoção de pelos, faz com que a comparação de estudos não seja precisa, devido às particularidades e a não padronização de cada método.

 

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

Atualmente existem diversas formas de epilação prolongada. Para garantir a satisfação das clientes, a técnica escolhida deve proporcionar resultados satisfatórios, baixo índice de desconforto, poucos efeitos colaterais e proporcionar uma técnica segura, eficaz e prolongada.

Ao término deste trabalho, avaliou-se que a luz intensa pulsada se mostrou mais eficaz na redução do volume de pelos axilares do que o laser, obtendo até 90% de diminuição.

Com a relação à sensibilidade do cliente pré e pós-procedimento, as voluntárias relataram que ambos os métodos proporcionaram efeitos colaterais semelhantes.  No  tocante  a  técnica  de  aplicação,  os  equipamentos  são similares e igualmente fáceis e rápidos de manusear, com visores que facilitam as escolhas das doses e com manoplas leves e anatômicos.

Contudo, é importante ressaltar que além da amostra ser reduzida, algumas voluntárias não concluíram o número de sessões propostos no início do trabalho, o que prejudicou uma melhor interpretação dos dados obtidos. Assim sendo, são necessários estudos mais amplos com maior numero de sessões e maior número de voluntários para comprovar a eficiência real das tecnologias em questão.

 

 

REFERÊNCIAS

AVÉ B.R.C. 2002. Epilação a laser

 

BRANDEN N., 1998. Auto estima: como aprender a gostar de si mesmo. BREADON J.Y.; 2007. Comparison of adverse events of laser and light-

assisted hair removal systems in skin types IV-VI.

 

BORGES F.S. 2004. Modalidades terapêuticas nas disfunções estéticas. BEDEWI A.F., 2004. Hair removal with intense pulsed light.

CAMERON   H.,   IBBOTSON   S.H.,   DAWE   R.S.,   FERGUSON   J., MOSELEY H 2008. Withinpatient right-left blinded comparison of diode (810 nm) laser therapy and intense pulsed light therapy for hair removal.

CARNEIRO J., JUNQUEIRA L.C., 2004. Histologia básica.

 

COELHO A.C.P. 2006. Depilação com luz intensa pulsada: a atuação do fisioterapeuta dermato-funcional no uso da LIP.

FEIJÓ A., TAFURI I., 2004. Depilação, o profissional, a técnica e o mercado de trabalho.

FONSECA A.M., BAGNOLI V.R., ARIE W.M.Y, BAGNOLI F., SOUZA M.A., BARACAT E.C. 2010. Tratamento hormonal do hirsutismo baseado em evidências

GUIRRO E., GUIRRO R., 2004. Fisioterapia dermato-funcional- fundamentos, recursos e patologias.

GOLDEMBERG D.J.; 2002. Evaluation of a long-pulse Qswitched Nd: YAG laser for hair removal.

HARRIS M.I.N.  2005. Pele: estrutura, propriedades e envelhecimento

 

MACEDO F.S., MONTEIRO É.O. 2008. Epilação com laser e luz intensa pulsada.

NETEMEYER R., BURTON S., LICHTENSTEIN D, 1995. Trait aspects of vanity: measurement and relevance to consumer behavior.

PEREIRA   J.    M.,    2001.    Propedêutica   das    doenças   dos    cabelos

 

SOLOMON M. R., 2008. Comportamento do consumidor

 

SOUZA V., ANTUNES D.,  2007. Ativos dermatológicos: guia de ativos dermatológicos utilizados na farmácia de manipulação para médicos e farmacêuticos.

 

SOUZA F.H.M, RIBEIRO C.F.;WEIGERT S., SCHMIDT J.V.;FABRICIO L.Z.; ATAÍDE D.S.T. 2010. Estudo comparativo de uso de Laser Diodo (810nm) versus Luz Intensa Pulsada (filtro 695nm) em epilação axilar.

SPRITZER P.M. 2002. Revisitando o hirsutismo. WINTER W.R. 2001. Eletrocosmética.

 

 

Segue alguns pontos do artigo, caso deseje ler todo conteúdo acesse nosso site: www.innatis.com.br em artigos.

 

4machines_250

 

Venha conhecer nossos equipamentos de Luz Pulsada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>